EQUIPE CICLISMO DE RESISTÊNCIA FAZ HISTÓRIA! PEDAL BATE-VOLTA CWB/ADRIANÓPOLIS


A semana começou agitada. Havia várias opções de treino para equipe, contudo, a previsão do tempo não colaborava em muito para efetivar o trajeto. Todavia, resolvemos arriscar e confirmar a pedalada até Adrianópolis no Paraná. Tudo certo, três ciclistas confirmaram presença para encarar um dos trechos mais difíceis aonde o acumulado de elevação chega próximo aos seis mil metros num trecho de menos de 300 km. No entanto, sabemos da capacidade dos nossos atletas e seguimos em frente. Porém, antes do horário marcado para saída houve uma desistência por motivos familiares e assim a equipe continuou com Isaias Domingues Batista e José Assumpção Alcunha Giba. Encarar a Estrada da Ribeira nunca foi tarefa fácil, pois não há acostamento em praticamente todo o percurso e as sequências de descidas com curvas acentuadas faz com que a atenção seja redobrada. Esse é o caminho até o destino final e serve para aquecer os ânimos e as pernas (risos). Nosso primeiro ponto de parada fora em Tunas no Paraná. Cerca de 75 km percorridos e como já é praxe o pessoal daquela localidade sempre curiosos e muito simpáticos, acolheram os atletas. Não podemos deixar de registrar que até Tunas o cenário é uma pintura de rara beleza e, após todos estarem abastecidos o desafio prosseguiu. A saída da cidade não é tarefa fácil por ser muito alcantilada e extensa. Dali para frente pudemos sentir que o trajeto seria pesado e, ao chegar a Adrianópolis isso ficou confirmado. No entanto, todo o espetáculo apresentado pelas paisagens fez com que a dureza do caminho ficasse apenas na parte física, porque a mente e o coração estavam enlevados de encanto.
Da mesma maneira que em Tunas, os moradores nos acolheram muitíssimo bem e depois de muitas risadas e cumprimentos o momento era de retornar. Antes de chegar à cidade há dois trechos com desabamentos que complicou a descida e, retornar os mais de 16 km íngremes mexeu com o psicológico. Contudo, a capacidade da equipe superou rapidamente, mas atenta à condição precária da pista. Após 40 km percorridos uma chuva gelada e passageira deixou a pista escorregadia e nos trechos onde as descidas ficaram mais acentuadas, o freio praticamente inexiste. Naquele instante já extenuados os dois atletas resolveram parar por alguns minutos para alongar e verificar os equipamentos. Feito isso passo a passo era vencido o treino e ao chegar a Tunas o gostinho de estar cada vez mais próximo de casa animava o ritmo. Entretanto, o entardecer se aproximava velozmente e decidimos aumentar o ritmo para evitar transtornos, pois os trechos sinuosos até chegar a Bocaiuva do Sul poderiam dar dor de cabeça, uma vez que a presença em demasia de animais domésticos (cães) naquele trecho aumenta as chances de acidentes. Dessa maneira conseguimos chegar antes do anoitecer em Bocaiuva do Sul. Parada rápida, equipamentos conferidos novamente, toca o bonde! Naquele momento parecia que estávamos num BRM próximos a terminar e superamos Bocaiuva do Sul com extrema rapidez. Porém, pela primeira vez presenciamos intensa circulação de carros na rodovia e sem acostamento à volta a Curitiba foi estressante. Vencido o trecho nos cumprimentados e a alegria de vencer esse treino duro mostrou que, a vida de Randonneurs está intimamente ligada a estrada e por lá deixamos registrado em cada metro vencido nosso suor, cansaço, lágrimas, pensamentos e o gosto de superar os temores porque lá também é nosso lar! Vida longa RANDONNEURS!!!
Agradecemos nossos patrocinadores e apoiadores:
Sergio Ricardo Reis proprietário da Tecnocicles
Cícero Britto proprietário da Virtus Cicles Sport

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM DAS FLORES - "DIA DAS MÃES"

MIMOSA SAUDOSA

QUADRADO