quarta-feira, 10 de agosto de 2016

SEM NOTA

Você se torna o ser mais imprestável do mundo quando o assunto é dívidas. Elas chegam mansamente e quando tenta contê-las não há mais tempo. É pior que enxurrada de verão invadindo a várzea habitada. Mas, sempre me pergunto: ainda não aprendeu a lição? A conta é clara. Melhor, os números são exatos e se “x” é maior que “y”, sendo “y” o seu ganha pão mensal, a conta nunca fechará. 

Porém, o ser é teimoso e uma das facetas internas sempre entra em ação libertando o desejo de consumir. No final, na verdade (risos) fica sem final o rombo estabelecido será a única forma de conter o consumismo. No entanto, é certo que nem sempre envolve o consumismo e dentro da variável tempo ocorre assuntos urgentes e emergentes que não podem esperar. Dentre esses assuntos está o seu lar. Aquele local onde se busca no fim de cada dia de serviço e mais agentes o aguardam ansiosamente todos os dias e, as necessidades básicas são prioridade para o momento. Mas, torno a remoer o interior e tentar encontrar as falhas. 

Dessa maneira o estado de espirito piora e o consolo é entrar e associar a ideia de que é importante manter a calma para evitar mais transtornos. Contudo e, de alguma forma, o ser necessita de uma distração, mesmo que seja lidar com juros astronômicos por longa data. Talvez, dentro dessa loucura seja possível abstrair-se da brevidade e aguardar um novo amanhã... 

JRA(o poeta da verdade).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.