domingo, 1 de julho de 2012

Par, e...


A ampla visão do horizonte
Impulsiona o sangue pelas veias
Através do pedivela intermitente
Cadenciando o ritmo do coração.

Tempo,
Distância,
Pressa e desânimo,
Desintegram-se no ar!
Quando as rodas insistentes
Deslizam pelo barro preto da tecnologia.

Assim é o ciclista!

Aventureiro solitário
Conectado em sua magrela
Apetecendo a busca do bel-prazer
Sentindo o vento.

Todavia,
No término do percurso
Desmonta e contempla
O suor da liberdade,
Mais uma vez...

JRA ( o poeta da verdade).

Um comentário:

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.