domingo, 26 de fevereiro de 2012

MOMENTOS ...


Segundos determinam o valor de inúmeras coisas, e com certeza uma das mais valiosas é a potência dum abraço. Aquele abraço muito assemelhado ao abraço apertado da saudade! Ou, até mesmo, aquele abraço dado no filho recuperado de alguma enfermidade por longo período. No entanto, o abraço que eu quero repassar e demonstrar toda a sua potência aos colegas que acompanham meus escritos, chama-se abraço por estar vivo. Acredito ‘eu’ ser o principal quando nos deparamos com a perda iminente da outra parte que estimamos, admiramos e prezamos, tanto... Para entender melhor isto, vou direto ao assunto: neste sábado(25/02/2012) de certa maneira alongado no tempo devido ao atraso do relógio para determinar o término do horário de verão, um homem trabalhador que é meu pai de coração, quase fora vítima do ato infeliz e praticado por meliantes , armados. Tomaram de assalto seu veículo, pouco antes deste ser tão honesto e lutador, chegar em seu local de trabalho. Entender os porquês destes atos é muito difícil! Logo nos defrontamos com a condição dos menos favorecidos e demais questões muito presentes no nosso dia a dia e decorrentes do crescente desequilíbrio social. Todavia, o infortúnio deste homem que amo tanto, quase fora findado se não entregasse o bem material que lutou tanto para conseguir. Sei ‘eu’ que isto nada vale, se comparado com a vida! Contudo, nos apegamos por observar a maneira como foi conquistado e o empenho direcionado para tanto. Só sei que no momento que vi meu pai e digo com muita felicidade e consideração, vivo, meu coração se encheu de alegria. Abracei-o com tanta força, mas tanta força, querendo retirar dele toda aquela condição deplorável, humilhante e lastimável sofrida por aquelas pessoas vítimas de assalto a mão armada. Talvez muitos não entendam esse episódio para exemplificar a potência mais valiosa dum abraço, ou, interpretem de outra maneira as inúmeras condições para ofertar um abraço. Só sei que, independente da maneira que isto ocorra num momento de felicidade ou tristeza, abrace muito, mas muitíssimo forte aquele que te acompanha dia após dia... Pois, a realidade dura da nossa existência sempre nos testa a todo o momento, conforme sofremos a ação de outrem com atitudes boas ou ruins.

A este ser deixo meu abraço de luz intensa e proteção, hoje e sempre! E o desejo de paz no seu coração humilhado e calejado pelo ato daqueles que, nada sabem sobre o efeito das ações que vão e voltam, sempre. Sejam elas positivas ou não, mas voltam em dimensões de grandezas avassaladoras as quais estamos sujeitos, desde a concepção...

DEUS, minha luz, minha estrada. És tu o divino e o todo-poderoso! E não o homem com seus exércitos e armas. Poderá o homem sucumbir a outro homem. Todavia, sua condição de ser finito e limitado, detalha a imensa pequenez desta existência e o longo caminho em busca de compreensão, caso seu coração peregrine pelo lado escuro e sombrio da SOLIDÃO.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.