sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

PERSONA VERSUS SITCOM


"há tempos o blog não sente [risos] o devaneio e , 2011 por enquanto, está marcado, em palavras..."

Amada esposa, hoje ao contemplar o esplendor da nossa cria amamentando-se em seus braços é momento de singular beleza e superação. Tu sabes que a bênção concedida chegou no tempo certo e nossos corações, calejados durante a árdua caminhada, careciam desta ocasião. Sabemos também que, novos desafios chegarão! Mas, toda a nova semente precisa ser testada nos mais diversos solos desta existência. E, por mais que a nossa convivência se depare com a aridez de outrem, a nova era de maneira alguma irá nos pertencer.

No entanto, o esforço para perdurar o zelo e a educação, repassados, condiz com nossos traços típicos herdados e concebidos por gerações que, nem sempre são lembradas! Tanto em contos de roda, como do mesmo modo em lembranças imagéticas acolhidas discretamente por lentes caleidoscópicas, que sentiram o mesmo sabor da felicidade, pela qual desfrutamos, agora. Foi então no decorrer da madrugada a observação do brilho da lua potente e o agito dessa explanação nostálgica. Perambulei vagarosamente as adjacências do batente e as gotas celestes que perfuravam o breu preponderante daquele horário, acordaram meu espírito quando caíram na minha cabeça. Senti o gracejo dos vocábulos suscitarem, um após o outro, este enredo de “Hamelin” anestesiando todo o rancor, o lamento e a revolta.

Todavia, a dúvida persistia: O engodo do passarinheiro sempre será o cochicho prazeroso ao ouvido desprovido de bom senso, apontando inverdades? E, qual será o seu ganho pelo ato?

Esta época, em que vivemos, é marcada acintosamente por este ardil da calúnia, e sem escrúpulos, peregrina por diversas mentes. Talvez seja uma alusão maniqueísta a minha sobre este delicado assunto, entretanto, muito pertinente. É durante estes lampejos, que percorrem o meu ser, que as incertezas prevalecem sobre os vindouros passos da nossa cria. Pois, o nosso legado é afetuoso e fraternal, e nos dispomos a mantê-lo ativo.

Contudo, quando a consciência da nossa cria amadurecer , esperamos mais do que nunca que impere as raízes dos ensinamentos, mesmo diante da provação que ela sofrerá ao se deparar com os domínios da posse e do poder num impasse entre o humor e antipatia...


P.S. - este fragmento surgiu durante um estorvo da minha consciência com a realidade. Quem venceu? Bom, [risos] acho que todos já sabem kkkkkkk...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.