sexta-feira, 9 de abril de 2010

ENCONTROS


[LU] – Diga o que lembra...
[LO] – Muita coisa!
Lembro da noite calma;
Das pernas esticadas;
Da banqueta; da água com gosto estranho;
Da grama cortada...

[LU] – Preciso de uma rede!
[LO] – Certo, então veja se esta serve:

Fio bruto que sustenta
meu corpo
a rede balança...
Por ali me achego, por horas!
Muitas vezes por alguns
instantes.
O dia passa rapidamente
então, a noite chega.
É neste momento que o
tempo cessa
o relógio quebra
meu peito acelera
meu desejo... ?
As carícias em meu cabelo
suavizam a minha pressa
e o gole da água gelada,
transforma o abalo em
alívio...
Tudo feito com muito
carinho
com muito agrado
com muito empenho.
São momentos para alguns
mas no meu ser
é como, vida inteira!
Assim é feita minha rede
de encontros.
Até mais...

JRA (o poeta da verdade

Um comentário:

  1. Saudações José,

    Criatividade a mil por hora. Parabéns pelo fascinante poema.

    Abraços.
    Edison Gil.

    ResponderExcluir

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.