MARCAS


















A calçada do tempo marca somente passos...

A trilha do destino indica possibilidades.

Amanhã talvez eu volte e passe por aqui!

A notar a poeira do chão que ainda domina...

Sem solução segui cabisbaixo pela urbe.

O bar ficara para trás, e os pensamentos insistiam

em manter o hoje vivo!

Dei alguns golpes na cachola, mas de nada adiantou.

Entre um soco e outro, de repente surge uma imagem turva

A pular para fora do peito, mostrando a outra face...

Olhei ao redor e os viandantes sumiram.

Carros presentes,

Rompendo distancias velozmente pela via pavimentada,

São vistos aos montes...

É o efeito do anestésico inalado chamado poluição!

O vidro fumê camufla as faces,

E ao olhar para baixo o sapato modesto ainda conforta o peso do meu corpo...

A outra face ficou desnorteada com o que viu.

Berrou: “quero voltar, me deixe entrar!”

Neste instante o sino da catedral ditava o som do tempo

Dezoito batidas fortes, a consciência retornou...

Os copos vazios no bar ficaram

Os carros presentes sumiram

Os viandantes surgiram

Meu coração bate feliz...


JRA (o poeta da verdade).



Comentários

  1. ainda bate! que bom... que bom... que bom...

    ResponderExcluir
  2. A Inspiração surge.... e você compartilha suas Vivências e Emoções.
    Essas fluem naturalmente de dentro do teu ser , tornando-se visíveis na Escrita.
    Que esse DOM que tu tens , continue sendo Abençoado.
    Beijos no teu coração.

    ResponderExcluir
  3. OLá!!! Queria agradecer pelo doce comentário, que vc postou na comuna, casa do escritor, sobre o poema "Onde está o escritor".... e aproveitei, enrei aqui, e achei liiiiinnndddoooo esse poema, tem um lirismo dificil de se encontrar por aí!

    *ah, sei que aqui não é lugar, mas vi que vc tem um contador, e eu goastaria muito de colocar na minha pagina, sabe como se faz???

    Valeu o cometário...bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM DAS FLORES - "DIA DAS MÃES"

MIMOSA SAUDOSA

QUADRADO