REGRESSO

















Dias de primavera chegam!

Minha vontade não...

Sinto que a faina do sentimento

Drenou minhas forças.


A pouco a lágrima da companheira correu pelo ombro direito.


Por onde anda seus pensamentos?


Quiçá pelo advento

Da estrela cobiçada

A brilhar no espaço reservado

Que há no seu coração...


O bem-estar necessário

Compromete o peito.

Pois, o golpe do verdugo

Dilacerou o anseio


Distanciou desde então

E olhar para o alto

É cativar-se pela diminuta luz na imensidão...


A lembrar, aconselhar e avisar!


Pois, o canto do bípede vespertino

Alegra enquanto há

E amargura quando descansa.


Os corredores da noite são gélidos!


A luz a chegar e encorajar

Não pertence ao meu olhar...

Então espero o dia chegar.

Mas, o regresso dolente

O poeta carece

A Alma gritante pede

Espírito se fortalece.


Vou alienar!

Vou sobrepujar...

Vou chorar!

Tentarei indultar...

Tentarei não execrar.


JRA (o poeta da verdade).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM DAS FLORES - "DIA DAS MÃES"

MIMOSA SAUDOSA

QUADRADO