CONSTRUÇÃO












O vento julgador se aproxima.

Não é bonança

Não é esperança

E tão pouco auxilia

A caminhar livre

Em verdes pastos do além...


O vento julgador se achega.

É vendaval

É zanga!

E pouco importa

O estrago a brotar

Na terra refém...


O vento julgador se foi

Ficou a justiça

Ficou a sentença

E o que importa

É a lição deixada

Na terra de ninguém...


Assim é o criador!


A demonstrar

O quão insignificante

É o “homem”!

Que se julga “rei”...


JRA (o poeta da verdade)


Comentários

  1. Bom dia! Bons ventos fizeram com que eu conhecesse seus lindos escritos... Virei mais vezes, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. adorei os últimos versos... bem colocados e verdadeiros!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. A demonstrar
    O quão insignificante
    É o homem!
    Que se julga rei.

    Muito fera brother, mas sem palavras pra essa ultima estrofe... Fascinante!

    "É um verdadeiro golpe na cabeça dessa gente normal."

    Abraços!
    Sir Edison Gil

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM DAS FLORES - "DIA DAS MÃES"

MIMOSA SAUDOSA

QUADRADO