domingo, 9 de agosto de 2009

PORTA DE ESTAÇÃO


















Abraço como alimento!

Minha alma levanta...


Um toque na face!

Meu espírito acende...


As palavras de um dia longo de verão

Trouxeram você.

As palavras de um dia curto de inverno

Levaram você.

Hoje abri a porta do meu pensamento!

Você não estava lá...


Apaguei a luz do quarto da solidão

Sentei no sofá da saudade

E o aroma da caneca vazia

O lábio tocou secamente.


O líquido não estava lá!


O tão precioso e rico coquetel

Da paixão ligeira de lençóis invisíveis

Marcou feito porta de estação.


Quando voltará?


No outono ou na primavera!


Através da brisa prometida, a tocar na tua face macia

Feito pétala arrancada por mãos de fada,

A decidir se vai ou fica...


JRA (o poeta da verdade).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.