sábado, 3 de janeiro de 2009

Meu amigo JOÃO-DE-BARRO



Vejo que o vento passou
E assim derrubou sua construção
Ah que dor no meu coração
Mas e você como ficou?
Alijado de lar
Agora tem que montar
O estrago que o vento traz.
Mas vejo que novamente estas alegre e forte a construir
Sua morada que agora esta mais radiante a surgir!
Que bom que você voltou a construir
Do lado da minha janela que traz a luz do dia a surgir!
Mas algo mais forte toca neste instante
Pois nem todos que vejo cair
Tem furor para se reconstruir
O que ontem caiu com o vento que surgiu
Das paragens dos nepotes iníquos e juvenis.
E assim cada matuto e provinciano
Ficam sem força e furor no peito diletante
A mover firmes suas províncias varonis
A reconstruir novamente como sábio aprendiz...

JRA (o poeta da verdade)

Um comentário:

  1. recomeçar, aprender, fazer tudo de novo... não é fácil, mas é PRECISO!
    beijos

    ResponderExcluir

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.