quinta-feira, 6 de novembro de 2008

PARABÉNS!



PARABENS!!!!!!!Sou seu leitor assíduo de segundona, ops me deixa molhar o meu bico com o stainheguer do Jaguara , pois não sou paranista, mas do jeito que o meu time ta desenvolvendo o troço, talvez precise do Jaguará para embalar o coração rubro negro dos sofredores de Plantão. Mas me diga? Onde encontro este famoso fanfarrão “o tal Jaguara”? Pois preciso fazer uma bailança de letras, para mexer com a turma de coré e tuba, a tar terra de muito pinhão sô , pois deixa eu molhar o meu bico com o stainheguer do Jaguara para contar um pouco da trajetória deste que vos fala. Sou curitibano !Lógico apenas de cidade, pois o time rubro , o tal do “furacão” , trago com emoção e assim toco a canção. Pois então,.. Sou curitibano e dias destes fui para uma tal bienal do livro .Uma destas que acontece a cada dois anos . Nossa!!!!!!Fiquei muito alegre e mesmo sem apoio de ninguém segui, feito um Jaguara pelas ruas de Sampa , todo faceiro. Fotos a role tirei e com muito orgulho marquei a cidade SORRISO com dois contos . rsrsr Se for te contar toda a história e mais os dois contos que estão no tar livro que participo , tu ira cair de costas e o email será um livro novo a editar. Imagine a bailança de lançamento como será!!!!!Nepotes e jaguaras pra todo o lado para tentar acalmar o filho da terra que seguiu por lá e agora berra para tocar o bando de fdp que só quer aparecer sem se esforçar. Bom! A única coisa que peço é que nunca perca este “sensor de criatividade” ótimo que faz este humilde leitor seguir a risca todas as segundonas a ler e pode crer nobre amigo !Mesmo que meu time vá pra tar da segundona , não vou deixar de ler a sua coluna nunca . POIS VOCE É UMA BENÇÃO DE “DEUS”. Se quiser saber mais de mim veja um comentário nas rapidinhas do Colpani e daí saberá que este que vos fala agora na escrita está lá , NA TRIBUNA QUE ELE ADORA LER SEM PARAR. IIIIIIIIIIIII To virando Jaguara e puxa saco rsrsrs . Valeu nobre DARTA e espero que este email chegue até seus olhos ... fui.


Obs. - este texto mandei para um colunista do jornal que sempre acompanho e como sempre na maioria dos emails que mando não obtive resposta. O assunto detalha um trecho da dificil condiçao do escritor que tem que se desdobrar em mil para conseguir expressar suas palavras, onde a familia e o ciclo de amizades é a fonte poderosa para obter resultados. Lógico que não posso esquecer de "DEUS" , pois é a energia plena do dom . No seguir da leitura aparece o tal do "jaguara" e "nepotes" , ok explico : Estas duas palavras surgiram durante a eleiçao deste ano e nos recortes que tenho guardado deste jornal , traz o momento em que o governo tenta de todas as formas motivar a campanha , mas sem sucesso. Foi graças a este trecho que surgiu o meu texto "O BAR DO BILO" e de uma forma adversa estou dando sequencia , trazendo sempre um colega para tomar um talagaço de caninha no bar onde a liberdade de expressão é muito importante. Bom, aos que acompanham o meu blog , no decorrer detalho com mais calma o entendimento do email e torço que na próxima participação ou ate mesmo na publicação do meu livro , esta condição humilhante nao ocorra , pois ate mesmo para os mais chegados que mando meus textos o "silencio" reinou absoluto quando pedi a colaboração para comprar a obra...


Um comentário:

  1. OOOOOO Nobre amigo..ossos do ofício!!
    Mas que não desanimes nunca...avante
    "soldado de chumbo" rs. abraços

    ResponderExcluir

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.