quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O SIMPLES E O MODERNO



Hoje trago a seus olhos duas etapas, "o simples e o moderno". Julgo ser difícil encontrar isto por vivermos com pressa sempre. Mas o inesperado trouxe a prova diante do ambiente da dor. Leia e sinta meu nobre amigo (a), que às vezes basta o simples para depois refletir no moderno.


Nos tempos atuais verificar o simples se torna algo misterioso, por saber que o moderno supera a tudo quando o assunto é ser humano. Muitos trechos se presenciam de pessoas que apressam noticias e se fazem aparecer impondo a condição do conhecimento. Este conhecimento é sempre para intimidação e isto se deixa a irritar, pois se prevalece de nomes para se escalar de imediato no ambiente da dor que traz a todo o momento algo novo a acontecer. Hoje um povo humilde de longe mostrou o simples e trouxe uma nova reflexão! "Ha pessoas assim hoje em dia?” Quando me direciono ao tempo tento demonstrar a humildade de pessoas simples que acreditam na primeira fala, mesmo que isto torne uma demora imensa a esperar a chegada de quem disse que viria e não venho. Quando o tempo marcou quase a virada do outro dia, chegaram até mim a perguntar. - A ambulância que viria buscar a gente não vem? Tenho fome e a pessoa que está comigo tem problemas. Sua fala mansa e olhar triste mostraram a realidade de acreditar a esperar sem procurar. Um esforço enorme foi feito para chamar a ambulância, mesmo diante do horário que já esperavam a mais de oito horas a chegada para o retorno do lar. Questionado foi ao homem humilde por esperar tanto sem perguntar ou pedir ajuda e novamente na fala mansa chegou as palavras a contrastar com o outro povo arrogante que se mexia pra lá e pra cá tentando se impor e furar a espera. - Não sei nenhum telefone, veja nossa situação! - Disseram que viriam buscar e até agora nada. Que drama se estabeleceu naquele momento quando foi solicitada a ambulância por telefone e nada poderia ser feito de momento, a não ser esperar mais seis horas até que o turno da manha viesse, para fazer o transporte. O homem calado e com um olhar perdido junto de sua companheira ficavam cômodos e indiferentes diante da noticia de esperar mais oito horas para que pudessem retornar ao lar. Toda a madrugada acompanhei e até mesmo o povo que se fazia agitado para atropelar e se fazer acontecer ou pior ainda aparecer, fez com que o pensar trouxe-se a duvida, mais uma vez, de outra maneira. O que se torna pior presenciar? O simples ou o moderno?Muitas vezes temos que se passar de simples para que a situação não fuja do controle e quando o moderno se faz necessário devemos lembrar-nos de lutar sem apelar para os conhecidos que esperam sempre um favor para cobrar depois. Esta condição não é regra para todos, pois para todo aquele que estica a mão sem interesse é o simples mais poderoso que existe, por ser feito e dado sem nada em troca, a não ser escutar a palavra "obrigado". Este povo humilde que presenciei hoje, com certeza ira retornar ao lar e manter o dia a dia a viver o simples, mas na memória tiveram o gosto de ir à busca de uma solução que trouxe uma dor muito forte "a distancia de seu lar". Pois para este tipo de gente nada supera o conforto em retornar rapidamente a sua terra simples, aonde o moderno não chegara nunca a ajudar, mas sim sempre a "conquistar e aniquilar".


"O povo humilde traz a condição do conservadorismo. Nossa mente é conservadora. Mas quando o assunto é o auxilio ao necessário algo trava a preocupação, pois sem interesse nada se move na terra do amanha" JRA.


Um comentário:

  1. JESUS, trouxe esta sabedoria, quando escolheu viver e caminhar entre os humildes!Esta história de vida me traz à lembrança esta parábola de JESUS:"Olhai os pássaros no céu!"...
    Abraços meu amigo.

    ResponderExcluir

Licença de direitos autorais(leia com atenção). Ao copiar textos, lembre de acrescentar os créditos. Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution License.